POLÍTICOS RELAPSOS, CORRUPTOS E PROTEGIDOS PELA LEI QUE ELES MESMOS ELABORARAM

Mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso água tratada no país e a metade da população não recebe o serviço de coleta de esgoto em suas residências; e apenas 40% dos esgotos gerados no Brasil passam por um tratamento adequado.

A partir de um estudo desenvolvido pelo Instituto Trata Brasil, com base em dados de 2014 do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento do Ministério das Cidades, revelou que no Ranking do saneamento nas 100 maiores cidades, as 5 piores colocadas estão concentradas na região Norte: Santarém (PA), Manaus (AM), Macapá (AP), Porto Velho (RO) e Ananindeua (PA).

“Nesses municípios, de maneira geral, todos os indicadores infelizmente são ruins, tanto na coleta e tratamento de esgotos, quanto nas perdas de água”, assinala o estudo.

Mas o problema é mundial. Cerca de 4,5 bilhões de pessoas no planeta – mais da metade da população global de 7,6 bilhões de habitantes, não tem acesso a saneamento básico.

O retrato do país com foco no saneamento básico é desastroso, criminoso e expugnável. São milhares de escolas públicas sem acessibilidade, sem rede de esgoto, sem quadra de esportes e biblioteca, sem laboratórios de ciências e informática.
Essa é a realidade de mais da metade dos colégios públicos do país, segundo dados do Censo Escolar que vem sendo criteriosamente realizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Os dados oficiais mostram que só 36% das escolas públicas têm esgoto encanado hoje – mais da metade delas contam apenas com uma fossa –, e 7% das instituições mantidas pelos governos não têm nenhum tipo de estrutura para lidar com os resíduos sólidos. Trata-se de uma enorme diferença em relação às particulares.

Na rede privada, só 17% das escolas não contam com o serviço de esgoto encanado. Onde se conclui a falência do estado, moral e responsável. No país existem 38.835 escolas privadas e 151.871 escolas públicas, totalizando 190.706 instituições de ensino básico.

Há seis governos o Brasil parou. Discute interesses políticos no Congresso, Judiciário e executivo. Collor, Sarney, FHC, Lula, Dilma e Temer, com eles nada avançou no social. Só mentiras maquiadas, num acinte e desrespeito a cidadania.

O povo cansou de discutir essas pessoas. Analisar governos e confiar na justiça. Todos estão com popularidade abaixo da critica. O poder estatal, já não consegue sequer manipular dados, tamanho o desgaste que se encontra a máquina pública.
O presidente Michel Temer perdeu a credibilidade para governar. Sua reprovação é de 93%, o mais rejeitado entre todos os presidentes do país. Conseguiu superar Fernando Collor de Melo, banido, enxotado e despejado do Planalto a exemplo da incapaz e desastrosa de Dilma Roussef.

O PAÍS SEM ESGOTO, NA LAMA DA INSENSATEZ DE POLÍTICOS INESCRUPULOSOS, RELAPSOS E PROTEGIDOS POR LEI QUE ELES MESMOS ELABORARAM.

A população indefesa, já não acredita que através do voto poderá mudar o Brasil, ou até limpar essa gente. Mas analisando o quadro que se apresenta numa lista de 14 candidatos a presidência nenhum está em condições de ganhar a confiança do brasileiro. Menos ainda com relação a partidos. Como escolher entre 37 siglas?

Sem nomes, porém com direito ao voto. O que fazer nas urnas de outubro?

Fonte: Roberto Monteiro Pinho

Compartilhar:

Notícias Relecionadas

Deixe um Comentário